São Paulo Trip: Uma viagem sonora

São Paulo Trip. A cidade é uma viagem. Aqui milhares de pessoas chegam e partem diariamente de seus aeroportos, rodoviárias e estações de trem, ou simplesmente pegam o carro e caem na estrada, como fez Jack Kerouac, em “On the Road”, há seis décadas.

Foi nessa pegada que surgiu o São Paulo Trip, só que como uma viagem sonora: uma maratona de shows reunindo bandas lendárias como The Who, Bon Jovi, Guns N Roses, Aerosmith, Def Leppard, The Cult e Alice Cooper.

A primeira edição aconteceu entre os dias 21 e 26 de setembro de 2017, no Allianz Parque. Abaixo você fica sabendo um pouco do que rolou nos quatro dias do evento.

 

 

A primeira edição do São Paulo Trip abriu com 3 atrações de peso. E teve peso sonoro e histórico. A primeira banda a estrear o palco do evento foi o Alter Bridge, que mostrou uma energia impressionante.

Formada por Mark Tremonti (guitarra), Scott Phillips (bateria), Brian Marshall (baixo) – todos vindos do Creed – e o vocalista e guitarrista Myles Kennedy, a banda subiu ao palco mandando “Come To Life” e “Addicted to Pain”, esquentando ainda mais o começo de noite paulistana. E ainda teve “Open Your Eyes”, “Metalingus” e “Rise Today”.

O inconfundível The Cult

O público ainda estava eletrizado quando o The Cult iniciou sua apresentação. A voz inconfundível de Ian Astbury e o estilo único do guitarrista Billy Duffy presentearam os fãs com um repertório que mesclou músicas de várias fases.

Os hits “Wild Flower” e “Rain” abriram o show e foram seguidas de “Dark Energy”, “Love Removal Machine”, “She Sells Sanctuary”e “Fire Woman”, além de outras.

Fazendo história

A grande atração da noite foi sem dúvida o The Who. E não que estejamos diminuindo os outros artistas, nada disso! Acontece que o show do The Who no São Paulo Trip marcou a primeira vez que a banda se apresentou em solo brasileiro!

E o que o público viu – e ouviu – foi um show histórico, com o guitarrista Pete Townshend e o vocalista Roger Daltrey visivelmente emocionados. Os setentões mostraram como se faz rock n’ roll – e provaram que rock não tem idade.

O setlist contou com 22 músicas, entre elas, clássicos como “Who Are You”, “Love, Reign O’er Me”, “Baba O’Riley”, “My Generation”, “You Better You Bet” e “Behind Blue Eyes” – o medley de “Tommy”, com “Amazing Journey”, “Sparks”, “Pinball Wizard” e “See Me, Feel Me”, emocionou os fãs de longa data.

 

 

Confira algumas fotos dos shows do THE WHO:

 

 

Confira algumas fotos dos shows do THE CULT:

 

 

Confira algumas fotos dos shows do ALTER BRIDGE:

 

 

O segundo dia do festival contou o estádio lotado para artistas distintos: tivemos o rock alternativo da dupla The Kills e o hard rock clássico dos veteranos do Bon Jovi.

O The Kills fez uma apresentação enérgica, com Alison Mosshart e Jamie “Hotel” Hince em sintonia. Alison aproveitou a passarela para mostrar sua performance garageira, o que funcionou muito bem com o som às vezes cru do The Kills.

Bon Jovi: plateia em transe

Sem dúvida a banda mais esperada da noite, o Bon Jovi mal subiu no palco e já deixou a plateia em transe. Formada em 1984, a banda norte-americana estava incrivelmente inspirada.

O shows abriu com “This House is Not For Sale”, música que dá nome ao mais recente disco, e com tantos hits lançados ao longo da carreira, não foi difícil o Bon Jovi engatar um clássico no outro.

No repertório: “Always”, “These Days”, “It’s My Life”, “Have a Nice Day”, “Keep the Faith”, “Livin on a Prayer” e “Bad Medicine”. Para “Bed of Roses”, Jon Bon Jovi puxou uma garota da plateia que dançou coladinha com o vocalista. O Bon Jovi fechou a segunda noite deixando os fãs mais do que satisfeitos.

 

 

Confira algumas fotos dos shows do BON JOVI:

 

 

Confira algumas fotos dos shows do THE KILLS:

 

 

O terceiro dia reuniu dois clássicos do hard rock: Def Leppard e Aerosmith. Isso bastaria para garantir uma noite de rock da melhor qualidade, não é? Mas as apresentações desse domingo superaram as expectativas.

Let’s get rocked com Def Leppard

Fãs de todas as idades enchiam a pista e as cadeiras do Allianz Parque quando o Def Leppard subiu ao palco. As luzes e a bela cenografia da banda encheram os olhos, assim como sua música preencheu ouvidos e corações.

Joe Elliott, Phil Collen, Rick Savage, Vivian Campbell e Rick Allen emendaram um rock no outro, equilibrando baladas e canções agitadas: “Hysteria”, “Pour Some Sugar On Me”, “Love Bites”, “Bringin’ On The Heartbreak” e “Rock of Ages” foram algumas das músicas que o Def Leppard apresentou ao público.

It’s Amazing: Aerosmith

Foi só o telão mostrar o logotipo da banda com as asas batendo que um grito enorme subiu da plateia. O Aerosmith entrou no palco e já mandou seu recado com “Let The Music Do The Talking”. E a música falou mesmo com os fãs, através de canções como “Livin’ On The Edge”, “Rag Doll”, “I Don’t Wanna Miss A Thing”, “Love In An Elevator” e a balada “Dream On”, uma das mais esperadas pelo público.

Além desses clássicos, é preciso destacar a energia que a banda emana – e como essa energia parece atingir os fãs em cheio. Impressionam a presença de palco e o alcance vocal de Steven Tyler, que ainda arrumou forças para brincar com as câmeras e se jogar no palco enquanto cantava. Foi uma noite memorável.

 

 

Confira algumas fotos dos shows do AEROSMITH:

 

 

Confira algumas fotos dos shows do DEF LEPPARD:

 

 

A quarta e última noite do São Paulo Trip contou com três atrações. Para abrir os shows, os novatos da Tyler Bryant & The Shakedown fizeram uma apresentação que chamou a atenção mesmo daqueles que não conheciam a banda.

Energia jovem para abrir a noite

O quarteto norte-americano fez um set curto, direto e poderoso. A banda tem como guitarrista Graham Whitford, filho de Brad Whitford (guitarrista do Aerosmith) e ao lado dele estão Tyler Bryant, Caleb Crosby e Noah Denney.

A sintonia entre os quatro é admirável e sua música soou pesada para o fim de tarde: sinal de que a noite prometia.

Alice Cooper hipnotizando os fãs

Saem os novatos e entra o senhor de respeito Alice Cooper no palco. Ovacionado do início ao fim, Alice Cooper fez mais que um show musical: promoveu um espetáculo completo.

Com direito a efeitos especiais, troca de figurino e até uma guilhotina que, a certa altura, realiza a decapitação do próprio Alice Cooper em pleno palco, o teatro de Cooper hipnotizou fãs de todas as idades. O repertório? Teve “No More Mr. Nice Guy”, “Poison”, “Only Women Bleed” e “I’m Eighteen”, entre outras.

Para a clássica atemporal “School’s Out”, a banda contou com uma participação especial de Andreas Kisser, guitarrista do Sepultura. Vale comentar o carisma de Alice Cooper e também a performance e talento da guitarrista Nita Strauss, que ganhou o público com seus solos impactantes.

Guns N Roses: louco e catártico

O show mais esperado da noite foi longo, louco e catártico. Foram 3 horas com Axl Rose, Slash e Duff McKagan correndo pelo palco como se fossem meninos e se entregando como se não houvesse amanhã.

De “It’s So Easy”, que abriu a apresentação, até “Paradise City”, que a fechou, foram nada menos do que 30 músicas. E no meio disso os fãs ouviram, entre outras, “Mr. Brownstone”, “Estranged”, “Civil War”, “Used To Love Her”, “Sweet Child O’ Mine” e “November Rain”.

Teve espaço para uma versão de “I Got You (I Feel Good)”, de James Brown, e Chris Cornell, falecido há alguns meses, ganhou uma emotiva homenagem com o Guns N Roses tocando “Black Hole Sun”, do Soundgarden.

O Guns N Roses encerrou a primeira edição do São Paulo Trip deixando no ar um clima de alegria e comoção, transformando o Allianz Parque numa cidade realmente paradisíaca: o paraíso do rock.

 

 

Confira algumas fotos dos shows do GUNS N’ ROSES:

 

Confira algumas fotos dos shows do ALICE COOPER:

 

Confira algumas fotos dos shows do TYLER BRYANT & THE SHAKEDOWN:

 

 

SÃO PAULO TRIP 2017 – ALLIANZ PARQUE – SÃO PAULO/SP

Data: 21, 23, 24 e 26 de setembro
Local: Allianz Parque (Av. Francisco Matarazzo, 1705 – Água Branca)
Realização: Mercury Concerts

 

 

AUTORIZAÇÕES SÃO PAULO TRIP
– Autorização de funcionamento processo: 2017-0.117.380-4 (link do processo)
– AVCB processo: 318351 (link do processo)